segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Cabide com Ganchos para a Entrada



Este post foi apoiado pela BLACK+DECKER, que me ofereceu uma das ferramentas utilizadas. A ideia do projecto e as opiniões são 100% minhas.

A nossa entrada estava a precisar de uma solução melhor para resolver o problema dos casacos espalhados por todo o lado ao fim do dia. Um ganchinho de cada lado do espelho decidamente não chegava (ultimamente sobrava apenas um porque o outro estava partido...)

Queria algo bonito, funcional e que não ocupasse demasiado espaço, e por isso desenhei eu própria um cabide com ganchinhos com as dimensões e cores que eu queria.

Usámos uma placa de MDF que já tínhamos e cortámo-la com serra tico-tico. A espessura da placa é 10 mm, e as peças têm 9 x 65 cm, e 8 x 65 cm. Usei também uma ripa de madeira para o rebordo superior com 14 mm de altura e 8 de espessura.


Depois de cortadas, as arestas das placas foram lixadas com a lixadora Mouse da BLACK+DECKER. A lixadora tem um depósito com microfiltro que retém a poeira e permite fazer um trabalho limpo dentro de casa. Esta funcionalidade revelou-se muito útil neste tempo chuvoso que não permitiu fazer esta operação na rua, e será muito prático para quem não tem uma garagem ou varanda para fazer reciclagens simples sem fazer uma grande poeirada. Verifiquei que esta ferramenta não colecta 100% de todo o pó produzido, mas faz uma enorme diferença quando comparada com uma lixadora mouse regular sem depósito, ou mesmo lixar à mão.

Usámos uma das lixas finas incluídas na embalagem, que traz um prático saco com fecho e alças para guardar a ferramenta.



As duas peças de MDF são unidas com cola de madeira e pressionadas durante umas horas com a ajuda de grampos. Antes de a cola secar aplicam-se alguns pregos finos para garantir a fixação. Para fixar a ripa de madeira que vai fazer de rebordo na prateleira aplica-se um fio de cola de madeira e procede-se à sua fixação com grampos como anteriormente. Convém fazer estas operações de união das diferentes peças em separado.







Como acabamento, foram aplicadas duas demãos de tapa poros. Depois de finamente lixada e limpa, a superfície foi pintada com tinta acrílica acetinada.



O passo seguinte é marcar os furos para os ganchos e para a fixação na parede. Sempre que é possível, e para um melhor acabamento, ocultam-se os furos de fixação do cabide debaixo dos ganchos. Os ganchos utilizados são da H&M Home.



E o resultado final:





O poster Copenhagen foi adquirido via Etsy.

Boa semana!


Pin It Now!

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Baby Hardware e Organização

Nós mães, vamos aprendendo sempre algo com o nascimento de cada bebé. O que precisamos realmente e o que gostamos mais de usar.

A pedido de algumas leitoras, vou falar um bocadinho sobre como vai ser a preparação para a chegada do nosso bebé º3.


O nosso bebé não vai ter, por enquanto, quartinho para si. Os quartos estão todos ocupados e ele não precisa para já de um espaço só dele.
Aquela frase cliché: "os bebés não precisam de tanta coisa assim" está, a meu ver, certíssima. Não será por ter um quartinho só dele e cheio de hardware que ele vai ser mais feliz ou bem tratado.
O que é realmente necessário vai depender um pouco das nossas preferências pessoais, e eu vou falar do que é importante para mim e de como me organizo com um bebé recém nascido em casa.

Para começar, descompliquei o máximo que me era possível.
Coloquei o berço de palhinha no nosso quarto e um sofazinho caso queira sentar-me para amamentar lá.
No quarto de vestir, reservei um espaço só para ele esvaziando algumas gavetas. Num camiseiro, organizei os babygrows, roupinhas interiores, babetes e panos, em 3 gavetas e apenas do tamanho 0 e 1 mês de idade (que serve até aos 3). Tamanhos seguintes estão já limpos e organizados em sacos fechados no sótão. Assim que as roupinhas começarem a ficar justas, arrumarei tudo e trarei o tamanho seguinte para as gavetas, e assim por diante. Tenho tudo organizado até aos 12 meses.
Foi uma forma de gerir o espaço (não quis comprar mobiliário ou cómodas adicionais) e de saber exactamente aquilo que tenho para cada fase e estação. Basta esquecermo-nos de um conjuntinho mais ao fundo da gaveta para o bebé nunca o chegar a vestir porque simplesmente já não serve... A organização neste ponto é fundamental. Nos primeiros meses sentimos que temos pouco tempo para tudo, e não vamos querer andar à procura das coisas por termos demasiadas ou por estarem muito misturadas.

Dá-me imenso jeito dobrar as roupinhas de modo que possam ficar ao alto, todas à vista, como comecei por fazer nas gavetas do Eduardo.



No roupeiro ao lado, arrumei roupinhas que ficam melhor penduradas, assim como as toalhas de banho, mantinhas, sapatinhos e peças miúdas. Reutilizei caixas de cartão para organizar o interior da gaveta.



Ao longo da gravidez fui aproveitando promoções para comprar fraldas, toalhitas e outros produtos. As roupinhas eram todas dos irmãos e ainda recebi algumas ofertas.

Quando pessoas amigas me perguntam o que preciso, nunca enumero produtos de puericultura como chuchas, escovinhas do cabelo ou tesoura das unhas porque prefiro ser eu mesma a escolher.
Escolhi não comprar muita coisa nem tudo da mesma gama no que toca a produtos de higiene e cosmética. Há bebés que podem ser alérgicos a determinadas marcas e não temos maneira de saber se vai acontecer com o nosso. Não tenho uma marca favorita, e costumo comprar produtos normalmente à venda nos supermercados. Além disso, descobri uma loja online com preços óptimos e foi lá que encomendei a maior parte dos artigos que precisei. Aproveitando os códigos promocionais que recebi por email, ainda tive descontos adicionais nas encomendas. Encomendei lá fraldas que acabaram por ficar com 50% de desconto, e encontrei coisas que não vi em mais lado nenhum, como as caixinhas pequenas para toalhitas.


Um dos grandes artigos que não vou utilizar desta vez é a banheira com estrutura para arrumação e muda fraldas. Ocupa imenso espaço que neste momento não tenho, e vou ser sincera: nunca gostei de dar banho aos bebés no quarto. Preocupavam-me os pingos (que às vezes não são só pingos) no soalho de madeira, o transportar da água para o quarto e no fim levar a água de novo. Mudar a fralda ou vestir o bebé no mudador também o fiz poucas vezes. No início, fazia-o porque achava o mais correcto, ou porque era assim que devia ser, mas depois vestia-os ou mudava-lhe as fraldas onde me dava realmente mais jeito: em cima da cama ou pelo resto da casa. A nossa casa tem dois lances de escadas, e eu prefiro ter uma cestinha à mão com fraldas, toalhitas e um pequeno resguardo descartável do que andar a subir escadas para o fazer no trocador.

Agora tenho apenas uma simples banheira de plástico que ficará sempre num cantinho da casa de banho, e dou-lhe banho ali mesmo, onde já estão os produtos de banho de toda a gente, e onde estarão os do bebé. Mas e o resto das coisas para o banho? Basta a toalha dele. Depois do banho, levo o bebé para o quarto envolto na toalha e visto-o na cama, onde estão já a cestinha pequena (com fraldas, toalhitas e creme para o rabinho), um creme hidratante e a muda de roupa preparada antes.


Sempre usei um termoventilador daqueles pequenos e portáteis para tornar a atmosfera do quarto um pouco mais agradável uns minutos antes de o bebé sair do banho. Os meus filhos nascem todos no Inverno e para mim é um must have. Desta vez comprei também um termómetro de duas funções: água e ambiente, para poder controlar melhor a temperatura do ar no espaço onde o bebé se veste e dorme sem exagerar nos aquecimentos.


A mala para saídas é a mesma que usei com os meus filhos e que adoro: é simples, rígida, bem compartimentada e não é demasiado «fofinha» como algumas que existem. Afinal de contas sou eu e o pai quem a vai usar, não é o bebé. Cabe a bolsa térmica dos biberões, a caixa pequena de toalhitas, algumas fraldas, um muda fraldas portátil, um creme, uma muda de roupa, um ou dois panos, uma garrafa de água... Normalmente não transporto mais do que isto. A caixinha de chuchas não precisa caber lá dentro se tal não for possível, pode transportar-se presa numa alça.


Em relação aos biberões, eu tenho um gosto pessoal pela Avent. Comprei 2 embalagens do novo modelo e a respectiva bolsa térmica. O esterilizador de biberões e a bomba manual de extração de leite (da mesma marca) ainda guardo das gravidezes anteriores.

Duas coisas novas para mim serão o uso do sling (eu usei marsúpio) e a técnica do swaddling. Encomendei no eBay um sling em tecido extensível (que estimo que seja mais confortável e menos volumoso do que os de pano) e 3 panos de musselina de tamanho grande para envolver o bebé desde o nascimento. Desde que li o livro da Constança Cordeiro Ferreira - Os bebés também querem dormir - que senti que tinha que experimentar o swaddling no meu bebé. Apesar de ser mãe de terceira viagem, aprendi muito com este livro e só tenho pena que não se falasse neste assunto quando os meus filhos mais velhos nasceram. É o meu livro de mesa de cabeceira!


E assim tenho tudo a postos para a chegada do nosso bebé. Tentei organizar as coisas da forma mais simples e prática que me foi possível, sem aquisição de mais mobiliário e reaproveitamento ao máximo do que a nossa casa já tem para oferecer. Conforme o nosso filho for crescendo, serão feitas as alterações necessárias, e quem sabe, alterações nos quartos dos irmãos. Mas isso ficará para mais tarde, conforme as necessidades da altura.
Agora é só aguardar!

Boa semana!

Pin It Now!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A Minha Gravidez

Olá! Tenho recebido mensagens nas várias redes sociais a perguntar por mim, como está a correr a gravidez e se está tudo a correr bem com o bebé. Desde já agradeço o carinho e a preocupação.


Sim! Está tudo a correr lindamente!
É engraçado como as gravidezes conseguem ser todas diferentes. Desta vez enjooei muito menos do que nas outras, mas por outro lado passei a conhecer um sintoma completamente novo para mim: azia. Ai que sensação do demo... tenho noites em que tenho que dormir quase sentada, e sempre que me curvo para apanhar qualquer coisa sei que tenho que me erguer muito rapidamente por causa do refluxo. É horrível.
Também sinto a pele e o cabelo diferentes, e não é para melhor. Os dois primeiros trimestres foram terríveis, com a pele muito seca e comichões na cara e ombros que me deixavam louca. O cabelo está muito crespo e difícil de disciplinar, mas está tudo a melhorar um pouco agora. Não fossem estes pormenores, seria uma gravidez perfeita.


O meu peso tem estado a aumentar gradualmente, o que para uma doente de Crohn é sempre positivo. No princípio da gravidez confesso que comi alarvemente. Comia muito e imensas vezes. Depois de almoçar não lanchava, almoçava outra vez! O meu corpo estava mesmo em modo de reserva, tendo em conta que iniciei a gravidez com o peso abaixo do normal e entretanto aumentei 16 Kg. Agora estou mais equilibrada e sabe bem não estar constantemente com fome. Também noto que nas gravidezes de meninos, tenho muita necessidade de comer coisas doces, enquanto que na gravidez da minha filha tinha vontade (e muitas vezes desejos) de coisas salgadas.


De resto, tenho-me mantido activa (ainda consigo subir e descer ao sótão, embora com muito mais dificuldade para passar), faço tudo como habitualmente, e sinto-me bem e feliz com esta nova etapa. Os miúdos estão desejosos de conhecer o mano e confessam que não esperavam que passasse num instante. Eu também sinto que passou tudo muito rápido e nem acredito que já faltam poucas semanas para o nascimento. Não sinto especial ansiedade, mas sim entusiasmo e estou a tentar gozar o máximo desta fase especial que é a gravidez. É quase como um presente que se desembrulha devagar para apreciar melhor a surpresa. Penso que a maturidade tem um peso relevante neste sentimento.

O bebé está a desenvolver-se bem e está na média do percentil. Parece-me ser tranquilo, mas posso estar enganada! Já está na posição cefálica há várias semanas e a médica que fez a última ecografia mostrou-me que deve ter bastante cabelo. A sabedoria popular diz que é daí que vem a azia, mas os meus dois filhos também tinham bastante cabelo e eu nunca tive esse sintoma nem os malfadados refluxos.


Tenho também tudo pronto e organizado para a chegada do bebé. No próximo post falarei um pouco sobre isso: o que considero necessário e como me organizei para a chegada de mais um membro na família.

⭐Boa semana e Boas Festas⭐


Pin It Now!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Iluminação Natalícia Versátil

Este ano comprei alguns cabos de iluminação led a pilhas. O facto de operarem a pilhas torna-os muito mais versáteis porque podemos usá-los em qualquer local sem termos de depender de uma tomada ou de feias extensões.

É muito vulgar encontrarmos luzinhas de Natal dentro de jarras e contentores transparentes. Nesta quadra usei estas luzinhas noutro tipo de objectos.



Na torre, usei uma corrente de 10 leds. Para a decoração da grinalda usei uma iluminação com 20 leds.
Este tipo de decoração com iluminação incorporada costuma ser mais dispendioso. Ao usar estas correntes de luzes bastante económicas posso decorar o que eu quiser de forma fácil, barata e rápida.
Na grinalda, apenas entrelacei a corrente de luzes e fixei com um pouco de fita adesiva transparente a cada ponta.







Boas decorações!

Pin It Now!